terça-feira, 29 de março de 2016

Zeméco na capa da revista Apoema: "Pinta as cores da aldeia o poeta universal..."




A imagem acima, capa de revista Apoema - Conteúdo da Palavra, com ilustração do artista plástico José Américo Roig (o Zeméco), foi disponibilizada na rede social Facebook, pelo poeta Denison Mendes, de Porto Alegre (RS) e publicada no dia 29/03/2016, quando fazem cinco anos do falecimento do pintor nortense, juntamente com texto coletado neste blog.
A família de Zeméco, sensibilizada, agradece a bela homenagem de um poeta ao pintor, principalmente pelo verso emblemático "Pinta as cores da aldeia o poeta universal..."
Abaixo, íntegra do texto que acompanha a ilustração que um dos quadros do artista nortense, intitulado Casa Ferrari, casario histórico de São José do Norte (RS), Brasil, cidade natal do Zeméco.

BREVE HISTÓRIA DE ZEMÉCO

José Américo Roig

O pintor nasceu em São José do Norte, em 20 de julho de 1934, e cresceu desenhando heróis de revistas em quadrinhos, criando outros e inventando histórias. Ainda menino, enviou suas criações para o Rio de Janeiro, onde todas foram publicadas na revista de quadrinhos Aí Mocinho.

Aos 15 anos, começou a pintar letreiros em barcos e paredes, passou a trabalhar também com pintura de cartazes de filmes para o cinema, onde trabalhou por mais de 10 anos como operador. Também fazia decorações de rua para carnaval e outras festividades.

Sua primeira exposição foi em 1961, no salão paroquial da Igreja Matriz São José, a convite do Padre Onofrio Sciffo, tendo como inspiração a arquitetura colonial, a pesca artesanal e suas recordações de infância.

Ainda na adolescência, buscou realizar o sonho de voar. Construiu então, asas de papel, com armação de madeira e dobradiças de portas, subindo no telhado de um dos sobrados históricos do município, atirou-se ao ar. O violento tombo lhe valeu fraturas e arranhões. Durante a recuperação, encontrou na arte do desenho e da pintura a razão de sua vida. Primeiro, aprimorando o desenho, depois, descobrindo o fascínio pela cor, dando origem aos famosos quadros que fizeram sucesso pelo Brasil.

No início do sucesso namorou e casou-se com Hildette Klaes Roig, com quem teve quatro filhos. Mais tarde, mudou-se com a família para Porto Alegre, indo trabalhar como montador de espaços em lojas de ambientes, onde seus quadros eram usados na decoração; disputados, superavam as vendas da loja.

Com problemas de visão, Zeméco resolveu voltar a São José do Norte, continuando o trabalho artístico, voltado ao acervo arquitetônico, às praias e aos costumes do povo. José Américo Roig faleceu em 29 de março de 2011, aos 76 anos, devido a problemas cardíacos e pulmonares.

Fontes: Rádio Cultura Riograndina/ zemeco.blogspot.com.br/