sábado, 30 de abril de 2011

O voo de Zeméco, por sua esposa (depoimento)


Fonte: http://www.youtube.com/watch?v=soCrfk3fNgY

O vídeo acima, gravado em 30/04/2011, com a professora Hildette Klaes Roig, esposa do artista plástico José Américo Roig, o Zeméco, trata-se de depoimento, a pedido de seu filho, o educador, escritor e poeta José Antonio Klaes Roig, sobre o voo que pintor nortense fez quando ainda adolescente.
Um relato de quem viveu por 50 anos ao lado de Zeméco, e muito ouviu essa história ser contata inúmeras vezes aos filhos, amigos, conhecidos, bem como a alunos que visitavam a casa do pintor, ou nas paletras que ele se dirigia às escolas.
Alguém que sabe do que essa história representa no imaginário da cidade natal do pintor, a sua musa, como ele mesmo se referia a São José do Norte, no extremo sul do Rio Grande do Sul e do Brasil.
Todos que conviveram com o artista sabem de sua alegria de viver, de seus sonhos e realizações, mas acima de tudo de sua simplicidade e do bom humor.
Dizia inclusive achar-se, não um grande artista, mas um artista grande, por conta de seus 1 metro e 88 centímetros.
Zeméco, enquanto vivo fez o que sempre quis e foi muito feliz, e essa é a sua maior herança, deixada a todos que o conheceram... Além de sua obra, que pode ser revisitada através deste blog, criado há cerca de 4 anos atrás.

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Um novo caminho...



Os familiares do artista plástico José Américo Roig, o Zeméco, agradecem pela fotografia acima, clicada por Natália Duarte Costa.

Foto feita quando Zeméco residia na praia do Mar Grosso, em São José do Norte - RS - Brasil.

Neste 29/04/2011, completa um mês de falecimento do artista plástico nortense.

"Todo fim é sempre um recomeço, tanto para quem vai, como para quem fica..."
José Antonio Klaes Roig, filho do pintor.

domingo, 10 de abril de 2011

O adeus a Zeméco (no Informativo O Nortense)





Acima, imagens digitalizadas da edição de abril/2011, Ano II, nº 18, na capa e página 11, do Informativo Publicitário O NORTENSE, de São José do Norte - Rio Grande do Sul - Brasil, referente à homenagem ao artista plástico José Américo Roig, o Zeméco, falecido em 29/03/2011.
Familiares de Zeméco agradecem.

Observação: Para visiualizar melhor as imagens, basta dar dois cliques sobre cada uma delas.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Vida e obra de Zeméco destacadas no obituário do jornal Zero Hora


JOSÉ AMÉRICO ROIG

São José do Norte, no Sul, perdeu um ícone de sua cultura. Morreu na tarde de terça-feira, aos 76 anos, o artista plástico José Américo Roig, conhecido como Zeméco. No município, foi decretado luto oficial de três dias.

Por meio de desenhos e pinturas, o artista registrou as belezas naturais, a arquitetura portuguesa, os costumes nortenses. Zeméco estava hospitalizado desde o início do mês em São José do Norte, com problemas pulmonares e cardíacos. Transferido na semana passada para Rio Grande, morreu por volta das 17h. Ontem, o corpo foi velado na Câmara de Vereadores nortense.

Nascido em 20 de julho de 1934, Zeméco iniciou sua trajetória com desenhos para revista em quadrinhos. Na adolescência, pintou letreiros em barcos e paredes e cartazes de filmes para o cinema, onde trabalhou como operador. Também fazia decorações de ruas em festas. A primeira exposição de Zeméco foi em 1961. Registrou a arquitetura colonial, a pesca e recordações de infância. Depois, rumou à Capital. Trabalhou como montador de espaços, vitrinista e desenhista de loja. Ao perder a visão de um dos olhos, retornou ao sul do Estado.

Seus quadros ganharam o Brasil e o Exterior, expostos em países como Uruguai, Argentina, Canadá e Alemanha. Em 2008, com o avanço dos problemas de visão, encerrou a carreira.

– Através da arte, meu pai fez um resgate histórico da região, em especial da cidade. Muitos casarios que os mais jovens não vieram a conhecer foram retratados pela sua obra – destaca José Antônio Roig, um dos quatro filhos do artista com a professora aposentada Hildette Klaes Roig, 77 anos.

– Muitas pessoas conheceram São José do Norte através da obra do Zeméco, um cidadão educado, atencioso, querido na comunidade. É uma grande perda – lamentou o prefeito em exercício do município, Zeny Oliveira.

em 31/03/2011

Fonte:
http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/index.jspx?uf=1&local=1&action=getObituary§ion=Obituario&obituaryId=20042

Link pra publicação, logo abaixo:

José Américo Roig, na ZH

Homenagem do poeta português Manuel João Silveiro a Zeméco

A ZEMÉCO


Zeméco fenomenal pintor,

S. José do Norte, cidade contemplada,

Mar Grosso, leito inspirador,

Estética Arte nos era dada.

Abençoada a criatura;

O Homem José Américo Roig,

Artista de colossal bravura,

Na tela transmitia Cultura.


João da mestra

04/04/2011

Fonte:
https://sites.google.com/site/majosilveiro/homenagem-a-zemeco-o-pintor-plastico-jose-americo

Observação: O poema acima, de autoria do poeta português Manuel João Silveiro, também conhecido pelos pseudônimos de João da Mestra e Majo Silveiro, é uma homenagem ao artista plástico José Américo Roig, o Zeméco, por conta de seu falecimento.

Para visitar o portal, onde o texto original se encontra, basta clicar no link abaixo:

Homenagem de MajoSilveiro a Zeméco

quinta-feira, 7 de abril de 2011

São José do Norte perdeu um ícone da cultura (homenagem do Jornal Agora)


Como toda criança, aos 5 anos, José Americo Roig, começou a desenhar carrinhos, casinhas, bichinhos etc. Aos 15 anos começou a pintar letreiros em casas de comércio, em canoas de pescadores e cartazes para o cinema, no qual trabalhou por mais de 10 anos como operador. Foi, também, funcionário público municipal, fazendo decorações de rua no Carnaval e em outras festividades, bem como ilustrava provas escolares em sua terra natal. No ano de 1961 expôs no Salão Paroquial de São José do Norte, convidado pelo padre Onofre Sciffo. Mais tarde transferiu-se para Porto Alegre, onde trabalhou como desenhista publicitário da Mesbla S/A, durante seis anos.

Expôs trabalhos na Assembleia Legislativa do Estado; no Clube Oriente em Campo Bom-RS; na Terceira e Quarta arte, em Torres-RS; em Piratini e em Rio Grande (Furg), a convite do Diretório Acadêmico de Biblioteconomia; no Centro Municipal de Cultura e na Caixa Economica Federal no Rio Grande e em São José do Norte.

Em Santa Catarina, mostrou seu trabalho em Criciuma, na Lagoa da Conceição, em Itajai, em Florianopolis, onde obteve "Menção Especial", no Primeiro Salão de Artes Imperial Marinheiro, no 5º Distrito Naval, no Rio Grande. Diversas capitais do PaÍs, na Argentina, na cidade de Agueda (Portugal) e em Montreal, no Canadá.

Nasceu no dia 20 de julho de 1934, filho de Américo Segundo Roig e de Ana Rodrigues de Sá Roig. Criou-se em São José do Norte, correndo alegre entre as brancas e buliçosas dunas, e tendo o passado sempre presente através da arquitetura colonial e da pesca artesanal. Daí sua inspiração e o apego às coisas nortenses; tal qual Delfina da Cunha, a maior poetisa cega do Rio Grande do Sul - segundo alguns, parente distante do pintor, pelo lado materno.
(Blog Olhar Virtual - acervo digital)

Zé Meco faleceu na última terça-feira, quando encontrava -se internado em hospital no Rio Grande. Deixa a prantear-lhe a esposa Hildete Klaes Roig, os filhos Marco Antonio, José Antonio, Sergio e Virginia, além de netos, demais parentes e um grande número de amigos que grangeou ao longo de sua vida.

(Homenagem do Agora, a pintor autodidata, que se constituiu em um dos maiores divulgadores de São José do Norte além fronteiras)

Observação: Texto acima, publicado na edição de 03/04/2011, do Jornal Agora, de Rio Grande - RS - Brasil.

Fonte: http://www.jornalagora.com.br/site/content/noticias/detalhe.php?e=9&n=9763

Observação 2: Imagem acima, fragmento de quadro de José Américo Roig, o Zeméco, retratando a plantação de cebola em sua terra natal.

quarta-feira, 6 de abril de 2011

São José do Norte mais pobre sem Zémeco (homenagem)

São José do Norte está vivendo, desde o dia 29 de março, momentos de luto.

Nossa Terra, neste dia, amanheceu alegre e anoiteceu triste, embora, com certeza, o Céu ficou mais iluminado, com a partida do nosso Ícone da arte José Americo Roig.

Escrevo sob forte emoção, lamentando a irreparável perda do nosso eminente artista plástico e amigo de todos, querido Zémeco.

É com imensa tristeza que nesta semana nos despedimos desse Mestre, um homeme simples, mas de atuação reconhecida no seio da comunidade nortense.

Como nortense, além de talentoso e dedicado no que fazia sua arte Zémeco era uma pessoa de singular grandiosidade.

Grande artista nortense, grande homem, uma alma simples, pura, igual ao de um menino, vai fazer, sem duvida alguma, muita falta no nosso convívio.

Como chefe de familia, José Americo foi um esposo devotado por Dona Hildete, sua esposa e companheira de todas horas.
Pai amoro, de um amor infinito e terno por seus quatro filhos: José Antonio, Marco Antonio, Sergio Antonio e Virginia, e também dos netos Julia, Allan e Mariana.

Sempre deu exemplo de conduta pessoal, divulgando na prática os valores éticos de responsabilidade, do trabalho e do respeito ao próximo. Como artista, deixa um enorme legado para todos nós. Cidadão, artista plástico autodidata, de alta estirpe, este nortense é orgulho de todos os municipes pois, com sua obra irretocável, rompeu fronteiras, horando a bandeira nortense, divulgando o nome de São José do Norte e conquistando o reconhecimento a nível de Estado, País e Mundo.

Que possamos seguir o exemplo que nos foi deixado por este grande homem.

ZEMECO

"se existem anjos, tu será um deles.
Foi maravilhoso te-lo junto a nós.
Obrigado, por dividir com todos nós tua incrível sabedoria.

Descansa em Paz, José Américo Roig, porque com toda certeza Deus te reservou um espaço entre os justos, tu que tão bem retrataste a importancia da arte na vida de um povo"

Tenho certeza que se tu pudesses estar dizendo alguma coisa agora, seria:

"Eu sou nortense e tenho amor a minha terra
Morro por ela no campo ou na cidade,
Mesmo distante, em qualquer lugar,
Eu sou teu filho e não deixo de te amar"
Nosso grande amigo ZEMECO,
Segura na mão de Deus e vai...

Profa. Nadia Jabor
(30/03/2011)

Observação 1: Homenagem da prof. Nadia, feita durante a cerimônia de adeus ao artista Zeméco, em 30/03/2011, na Câmara de Vereadores de São José do Norte.
Observação 2: Texto publicado no Jornal Agora, de Rio Grande - RS - Brasil, em 06/04/2001, na página de São José do Norte.

http://www.jornalagora.com.br/site/content/noticias/detalhe.php?e=9&n=9873