domingo, 6 de dezembro de 2009

A Santa Ceia no salão paroquial da Igreja São José


Acima, fotografia do painel intitulado A Santa Ceia, pintado no final dos anos 1970, no salão paroquial da Igreja São José, em São José do Norte - RS - Brasil, pelo artista plástico nortense José Américo Roig, o Zeméco.
A pintura está em tamanho natural com Jesus e seus apóstolos.
Para verem melhor a imagem, cliquem 2 vezes sobre a imagem.

Zeméco e a decoração de Natal, em Campo Bom-RS (1997)









Acima, imagens da decoração de Natal, elaborada por José Américo Roig, o artista plástico Zeméco, de São José do Norte, feita em 1997, na cidade de Campo Bom, Rio Grande do Sul, Brasil, na residência do casal de amigos Valdir e Maria Fleck.
A decoração era composta de personagens bíblicos feitos em placas de eucatex e pintadas à mão, com tinta acrílica. A casa levou 20 mil lâmpadas em sua iluminação exterior. O telhado foi revestido com esponja para imitar a neve.

Observação: As imagens acima pertencem ao vídeo feito por Valdir Fleck, na época, e disponibilizado posteriormente cópia ao Zeméco. Para verem as imagens com mais detalhes, basta clicar duas vezes sobre cada uma.

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Zeméco citado na revista Trilhas


Capa da revista Trilhas

Página 16

Página 17

O artista plástico José Américo Roig, o Zeméco, de São José do Norte - RS - Brasil, foi citado na revista Trilhas (revistatrilhas@gmail.com), na coluna Mochilão: a vida é dura mas a praia é mole..., de Paulinho Alemão (vide imagens acima).
A revista Trilhas, de Pelotas - RS, tem foco nos esportes, cultura e lazer.
A matéria (2007) trata de "São José do Norte: Muy heróica vila!", destacando as belezas naturais do município, com belas imagens e texto em que Paulinho Alemão conta seu encontro com alguns nortenses e, em especial, Zeméco. Veja abaixo fragmento do texto (presente na terceira imagem, de cima para baixo):

"(...) em um restaurante, admirávamos quadros de paisagens da região, pintados pelo ilustre artista e morador Zé Meco, e entre um vinho e outro, para espantar o frio que fazia, surgiu a conversa de que ali próximo, havia um lugar lindo e pouco conhecido chamado Estreito".

Observação: Para ver melhor a matéria, basta clicar duas vezes sobre as imagens.

domingo, 12 de abril de 2009

Zeméco destacado pelo blog Turismo no Extremo Sul


O blog Olhar Virtual e a obra de José Américo Roig, o popular Zeméco, artista plástico de São José do Norte - RS - Brasil foi, em 18/03/2009, destacado pelo blog Turismo no Extremo Sul, cujo editor é Luis Laco, riograndino, estudante do 7º semestre do Curso de Bacharelado em Turismo da Universidade Federal de Pelotas (UFPel).
Zeméco agradece ao Luis pela divulgação de sua obra e o convida a visitá-lo em São José do Norte.

Abaixo, link (atalho) para a publicação no Turismo no Extremo Sul:

São José do Norte na visão de um artista

Fonte:
http://turismoextremosul.blogspot.com/2009/03/voce-conhece-zemeco.html

Endereço do referido blog:

http://turismoextremosul.blogspot.com

sábado, 11 de abril de 2009

Jandira: entre o real e o imaginário




Fotos 1 a 3: Jandira, Ford, Modelo A, 1929.


Foto 4: Jandira na praia do Mar Grosso (1980).

Foto 5: Jandira e o navio Minghai (2000).

Imagens acima, de 1 a 3, fotos da jardineira Jandira, e fotos de números 4 e 5, quadros de autoria de José Américo Roig, o Zeméco, artista plástico de São José do Norte - RS - Brasil.
Foto 4, quadro de Zeméco com Jandira na praia do Mar Grosso (SJN), com o Pipa cavando marisco.
Quadro 5, quadro de Zeméco sobre o encalhe do navio chinês Minghai, acontecido na praia do Mar Grosso (1999), com Jandira e Pipa observando.

A caminhonete batizada de Jandira - Ford, Modelo A, do ano de 1929, de propriedade de Carlos Alberto Fernandes, mais conhecido por Pipa -, é uma marca no imaginário nortense, que ainda "vive" até hoje rodando pelas ruas da cidade. Portanto, um veículo com 80 anos e há mais de 40 convivendo com Pipa, sua família e os nortenses em geral.
Num mundo consumista, em que as coisas são descartáveis, há que se valorizar essa dedicação à Jandira, patrimônio histórico e cultural de São José do Norte.

Para os interessados, há uma comunidade no orkut para a Jandira, conforme endereço abaixo:
http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=13142319

Observação 1: Zeméco agradece a Janete Sagaz (filha de Pipa) pelo envio das fotos de seus quadros em que aparece a Jandira, e que também estão há anos no acervo da família Fernandes.
Observação 2: Foto 1 aparece Pipa sentado à porta de sua casa, na Rua Gen. Osório (São José do Norte - RS), com a Jandira estacionada à frente da residência.

domingo, 8 de março de 2009

Registros em Tinta e Madeira de uma Cidade Invisível


A vida e obra de José Américo Roig, o Zeméco, artista plástico autodidata, natural de São José do Norte, e residente na praia do Mar Grosso, no mesmo município, já foi matéria de diversas entrevistas, vídeos, desfile escolar, até samba enredo de escola de samba nos municípios de São José do Norte e Rio Grande - RS - Brasil.

Dentro da proposta do blog Olhar Virtual, de inventariar a vida e obra de Zeméco, fazendo deste ambiente virtual um local de registros de suas mais variadas facetas, divulgamos o texto Registros em Tinta e Madeira de uma Cidade Invisível, de autoria de Maicon Dourado Bravo, bacharel em História (FURG), Mestrando em Educação Ambiental (FURG), presidente da Associação Pró-Preservação do Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural de São José do Norte - Aphac Norte.

Abaixo, publicamos o resumo da obra, colocando mais adiante o link e endereço do texto, que pode ser lido em sua íntegra.

Zeméco e seus familiares, mais uma vez, agradecem a Maicon, à diretoria da Aphac e demais órgãos e instituições públicas e privadas, e todos aqueles que têm divulgado, das mais variadas formas, aspectos de sua vida e obra.

Resumo: A preservação do centro histórico de São José do Norte tem se mostrado um assunto muito delicado e preocupante para entidades que se interessam na manutenção desse patrimônio e para a população em geral, que vê desaparecer diante de seus olhos seu passado e sua história. No entanto, na memória e nas pinturas de José Américo Roig, Zeméco, tal patrimônio permanece intocado, guarda ainda suas características originais que tinha há 30 ou 40 anos atrás, e o trabalho desse artista contribui para a preservação do patrimônio histórico e artístico de São José do Norte.

Palavras-chave: Patrimônio, Memória, História de Vida, José Américo Roig.


Registros em Tinta e Madeira de uma Cidade Invisível


Endereço do trabalho na internet:
http://www.ceamecim.furg.br/vi_pesquisa/trabalhos/42.doc

Observação: Imagem acima, motivo que retrata a Igreja Matriz, a praça e o chafariz, pintura a óleo sobre costaneira (madeira), de autoria de Zeméco. Peça do acervo particular de seu filho José Antonio.

domingo, 1 de março de 2009

A casa de Zeméco





As imagens acima retratam a casa e o entorno da mesma, onde o artista plástico José Américo Roig, o Zeméco, busca inspiração para sua vida e arte, na praia do Mar Grosso, em São José do Norte - Rs - Brasil.

Observação: O blog Olhar Virtual ultrapassou às 3 mil visitas, desde que o contador de visitas foi instalado em dezembro 2007. O novo contador, instalado em fevereiro/2009 já acusa quase 500 visitantes. Zeméco agradece a todos pela visitação e comentários deixados.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Rua Direita: cinco olhares sobre o mesmo quadro







A primeira imagem (de cima para baixo), o quadro intitulado Rua Direita, de autoria de José Américo Roig, o Zeméco, que retratou a rua principal de sua cidade natal, São José do Norte - RS - Brasil, cujo nome oficial é Rua General Osório, pode-se ser vista também de forma fragmentando em cinco fotografias abaixo da primeira e original.
A técnica de Zeméco é pintura a óleo sobre chapa de eucatex, que simula o efeito de uma tela convencional.
Sempre lembrando que em 2009, Zeméco comemorará 75 anos de vida, 60 anos de pintura e 30 anos de moradia na praia do Mar Grosso (SJN-RS-BR).

Intendência Municipal em dois momentos



Acima, detalhe da parte superior da Intendência Municipal de São José do Norte - RS - Brasil. Abaixo desse, o quadro de autoria de José Américo Roig, o Zeméco, em sua integralidade.

Zeméco, pintor abstrato?



Na verdade, essa postagem é uma brincadeira com a mesa de trabalho (foto 2) de José Américo Roig, o Zeméco, que se vista no detalhe acima (foto 1), lembra vagamente uma pintura abstrata, mas quando vista do alto, tira-se qualquer dúvida.

Pequenas estatuetas no jardim





Para quem já visitou a casa do artista plástico José Américo Roig, o Zeméco, na praia do Mar Grosso, em São José do Norte - RS - Brasil, as pequenas estatuetas acima, feitas pelo mesmo (cisne, saci pererê, seria e um outro, que se tornará em breve o Visconde de Sabugosa, do Sítio do Picapau Amarelo), não são novidade. Logicamente, Zeméco não é escultor, e as estatuetas foram feitas para decorar o jardim de entrada de sua casa.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

A Rua Direita


Imagem acima, fotografia da tela A Rua Direita, de autoria de José Américo Roig, o Zeméco, retratando a Rua Gen. Osório, a rua principal da cidade de São José do Norte - RS - Brasil, onde se realizam a maioria das festividades, como desfiles escolares, Carnaval, etc.
No caso, a Rua Direita do passado, com seus casarios originais, que Zeméco preservou em sua memória visual.

Álbum de família: Meméco, pai de Zeméco


Foto acima, digitalizada do álbum de família, retrata Américo Segundo Roig, conhecido como o velho Meméco, pai de José Américo Roig, o artista plástico Zeméco.
Foto datada de 1971, com Meméco e seus netos José Antonio (esquerda, com 7 anos) e Marco Antonio (direita, com 3 anos).
Meméco, nascido em São José do Norte, em 14/07/1898, era filho do casal espanhol Dom Miguel Roig e Dona Victória Metlas Roig. Foi farmacêutico, depois funcionário público, trabalhando na Prefeitura de São José do Norte - RS - Brasil.
A foto acima, tirada no quintal da casa na rua Marcílio Dias, quase esquina com 16 de Julho, onde ele viveu e veio a falecer em 1974.

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Álbum de família: Zeméco menino


Fotografia acima, digitalizada do álbum de família, datada de 1942, mostra José Américo Roig, o Zeméco, na época com 8 anos de idade, ao lado de sua irmã Lélia, então com 12 anos.
Zeméco iniciava seus estudos na escola Marques de Souza, em São José do Norte - RS - Brasil; escola onde seus filhos José Antonio, Marco Antonio, Sérgio Antonio e Virgínia também estudaram, e, atualmente, sua neta Júlia, cursa o ensino fundamental.

Observação: Para ver melhor os detalhes da foto, basta clicar duas vezes sobre a mesma.

sábado, 31 de janeiro de 2009

Preservação arquitetônica


Imagem 1: Quadro de Zeméco, o Hotel Amaral.

Imagem 2: Hotel Amaral restaurado, atual sede do MP-SJN.

O quadro acima, de autoria de José Américo Roig, o Zeméco, retrata o antigo Hotel Amaral, que em 2007, após a conclusão das obras de restauro do mesmo, promovidas pelo Ministério Público de São José do Norte - RS - Brasil, passou a ser a sede do MP, bem como ter seu auditório cedido para atividades artísticas, culturais e sociais do município.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

A cultura da cebola na arte de Zeméco






Acima, a primeira imagem é o quadro que retrata uma xácara idealizada por José Américo Roig, o Zeméco, retratando uma entre tantas que de fato existem no interior do município, vinculadas à cultura da cebola e também à pecuária. A cebola já deu a São José do Norte, décadas atrás, o título de capital da cebola.
As demais imagens são fragmentos do mesmo quadro, que capturadas pela lente de uma câmera digital, dão mostras da riqueza dos detalhes pintados pelo pintor nortense, como se fossem três quadros independentes.
O colorido, a paisagem, as personagens, tudo foi capturado e pintado, graças ao olhar especial e privilegiado de seu autor...

Observação: Para ver melhor os detalhes, basta clicar duas vezes sobre as imagens acima.

Arte e vida de Zeméco


Imagem 1: Quadro de Zeméco.

Imagem 2: Casa da família Antiqueira.

Dentro do objetivo deste blog, de dilvulgar arte e vida de José Américo Roig, o Zeméco, acima consta a arte, através do quadro que retrata a casa em que Zeméco nasceu, em 20 de julho de 1934, situada na Rua Mal Floriano, em São José do Norte - RS - Brasil.
Parte casa, justamente o lado em que Zeméco nasceu, já não existe mais...

Abaixo, pequeno Curriculum Vitae de Zeméco, produzido por sua esposa Hildette.

José Américo Roig (Zeméco) / Pintor autodidata

Como toda criança, aos 05 anos, começou a desenhar carrinhos, casinhas, bichinhos, etc. Aos 15 anos começou a pintar letreiros em casas de comércio, em canoas de pescadores e cartazes para o cinema, onde trabalhou por mais de 10 anos como operador. Foi, também, funcionário público municipal, fazendo decorações de rua no Carnaval e em outras festividades, bem como ilustrava provas escolares em sua terra natal. No ano de 1961 expôs no Salão Paroquial de São José do Norte, convidado pelo padre Onofre Sciffo. Mais tarde transferiu-se para Porto Alegre, onde trabalhou como desenhista publicitário da Mesbla S/A durante 06 anos.

Expôs na Assembléia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul; no Clube Oriente em Campo Bom – RS; na 3ª e 4ª Arte em Torres – RS; em Piratini e em Rio Grande – RS, no espaço cultural do Banco do Brasil; na Fundação Universidade do Rio Grande – FURG (a convite do Diretório Acadêmico de Biblioteconomia); no Centro Municipal de Cultural e na Caixa Econômica Federal de Rio Grande e de São José do Norte.

Em Santa Catarina mostrou seu trabalho em Criciúma, na Lagoa da Conceição; em Itajaí; em Florianópolis e obteve “Menção Especial” no 1º Salão de Artes Imperial Marinheiro do 5º Distrito Naval em Rio Grande – RS. Seus trabalhos estão em diversas capitais do país, na Argentina, na cidade de Águeda em Portugal e em Montreal no Canadá.

Este ano completará 60 anos colorindo São José do Norte (1949-2009). Seu trabalho é todo dirigido a sua terra natal, onde nasceu no dia 20 de julho de 1934, filho de Américo Segundo Roig e de Ana Rodrigues de Sá Roig. Criou-se em São José do Norte, correndo alegre entre as brancas e buliçosas dunas, e tendo o passado sempre presente através da arquitetura colonial e da pesca artesanal. Daí sua inspiração e o apego às coisas nortenses; tal qual Delfina da Cunha, a maior poetisa cega do Rio Grande do Sul em todos os tempos - segundo alguns, parente distante do pintor pelo lado materno.


TÉCNICA: Simples e bela como sua obra, usando lâminas de eucatex, fazendo uma mistura própria; pintando também em telas a óleo.

Um olhar virtual sobre o olhar real...


Imagem 1: o detalhe.

Imagem 2: o quadro original.

Imagem 3: Foto da atual Prefeitura Municipal de São José do Norte.

Mais uma postagem destacando fragmento (imagem 1) de quadro original de José Américo Roig, o Zeméco, que pode ser observado como uma obra em separado.
No caso, o antigo Sobrado do Sr. Gotardo Amaral da Silveira (imagem 2), onde funciona a atual Prefeitura Municipal, situada na Rua Marechal Deodoro, em São José do Norte - RS - Brasil (imagem 3).